terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Viver ou suportar a vida, nem sei o que dizer...


Faz algum tempo que não escrevo nada de interessante, e também não creio que este texto meu será de grande proveito, é bem verdade que através de mal traçadas linhas é que expresso minha vida, meu cotidiano, meus sentimentos.
Antigamente eu chorava e fazia meu drama, por não conseguir o amor de alguém que eu julgava ser "a mulher da minha vida", sempre fui de fato bem exagerado, mas nos últimos dias eu comecei aprender algo novo com a vida, a sofrer de maneira diferente, olhar pra vida com outros olhos. Hoje é diferente de ontem e o amanhã a gente nem sabe se vai existir, quer saber... eu e minha mania de rodeios, é difícil a gente expressar o que sente de maneira objetiva, de escrever meu coração dói, eu não durmo direito, eu errei e nem sei se tem conserto, eu tenho me sentido um inútil e quer saber? Eu não posso fazer nada, eu olho pro quadro na parede e simplesmente nem sei pra que Deus perde tempo comigo, se tudo que eu plantei nessa vida não serviu pra nada, quisera eu ter poderes mágicos voltar no passado e ter sido alguém mais relaxado, alguém diferente, o tempo vai passando eu desperdicei tanto a minha vida. Sinto que nos meus tempos de colégio eu deveria ter me sentado com a turma do fundão aprendido a malícia, do que sentar na frente, ser o certinho, querer impressionar todo mundo como o dito mais culto, pra que tanta formalidade na minha vida, pra quê dinheiro? O que eu ganhei com isso? Isso tudo não tem o menor significado diante de tudo que eu mais queria, alguém que olhou pra mim e não viu o que eu tinha, alguém que se importava, alguém diferente, alguém que é o que é independente de qualquer coisa.
Enfim a vida é assim, eu sempre falei com as pessoas, gente burra tem que se ferrar, eu fui burro! A gente reconhece arrependimento, abandona o orgulho, quando percebe que o que tem no coração é a única coisa que de valor na vida, e que você nunca terá o controle de tudo, é a vida que passa enquanto você se preocupa demais, perde aulas, vira outra pessoa e chega um dia que não sabe nem quem você é de verdade!
E aí você chora, porque homens não são de ferro, são mais frágeis do que aparentam!

_João Af. Maia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário